30 abril, 2008

José Antônio

Ao Nosso Amor

É o que quero crer: que nos amamos
No início, deparamo-nos com rostos tensos.
Cada qual no seu canto,
No seu mundo,
Trinta ou mais realidades nada iguais.
Aparências nada iguais.
Conversas mas conversas.
Todos parte com suas particularidades.
E o todo: nós.

Fonte: Panorama da Atual Poesia Cuiabana (1986)

Nenhum comentário: