13 março, 2018

Wilson Garcia de Alencar


A Ira do Poema

O poema assenta,
e assinala o cotidiano.

Fonte: Panorama da Atual Poesia Cuiabana (1986)


Nenhum comentário: