01 abril, 2018

De la Cruz


Falácia

Era uma vez
Uma Ilha minúscula,
Perdida na imensidão oceânica,
Chamada Falácia.

Falácia tinha governo
E um povo que acreditava
Nas eleições diretas de uns
E nas eleições indiretas de outros.

Falácia estava em crise.
Uma tal de inflação subiu,
Em detrimento da deflação.
E o povo não entendia.


Falácia tinha problemas financeiros.
No tesouro sempre havia falta,
Nunca havia sobra,
Explicavam os entendidos.

Existiam problemas habitacionais,
Não que faltassem casas de moradia,
Aliás, elas estavam até sobrando.
O povo é que não conseguia compra-las.

Os dirigentes de Falácia
Construíam obras faraônicas.
Então, o povo começou a entender,
E chamavam-nas mamutes brancos.

Era tanta falácia que havia em Falácia,
Que o provo, ludibriado, cansou.
Cortou o cordão umbilical
e... Falácia faliu.

Fonte: Panorama da Atual Poesia Cuiabana (1986)

Nenhum comentário: