17 maio, 2018

Natalino Ferreira Mendes

Vapor Etrúria


Um longo apito ecoa sonoroso!
— Etrúria!... Diz o povo emocionado.
Já o porto de gente está apinhado:
— Eis, na volta do rio, o barco airoso.

Anos mais de cinquenta, no passado,
ligaste a Corumbá, vapor formoso,
a urbe de Albuquerque (nome honroso!)
– único meio de transporte usado.

Assim, tanto te uniste à nossa vida
no abraço da chegada e da partida,
que símbolo já eras da cidade.

Etrúria!... O Paraguai está vazio...
Fecharam-te o cais... Mas tu, navio,
continuas vivendo na saudade.

Nenhum comentário: