01 dezembro, 2018

José Tomás de Almeida Serra


Câmara de Virgem

Quando a luz do luar bate-lhe em cheio
Nas formas de primor escultural,
Julgo fitar a Vênus sensual,
Num langue, voluptuoso devaneio...

Na suave ondular do lindo seio,
Julgo ouvir uma música ideal,
Que me transporta à plaga celestial
De uma aurora louçã ao bruxuleio.


Sinto, então, essa febre de desejos
Que nos acende a fruta proibida,
No mais doce e propício de ensejos...

E vendo-a seminua, adormecida,
Cubro-a de um turbilhão de beijos:
morte, morte de amor, melhor que a vida!

José Tomás de Almeida Serra - cuiabano, nasceu a 7 de março de 1852; aos 23 anos, morreu do mal do século tuberculose. Foi um verdadeiro corifeu do Romantismo em Mato Grosso. Para Rubens de Mendonça José Tomás de Almeida sofreu influência de Alfred Musset e Álvares de Azevedo.

Nenhum comentário: